Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://tcc.fps.edu.br:80/jspui/handle/fpsrepo/1349
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.authorBARROS, Camilla Vieira Lins-
dc.contributor.authorSOUZA, Danielle Albuquerque de-
dc.contributor.authorSILVA, Simone dos Anjos-
dc.contributor.authorRAMOS, Karla da Silva-
dc.contributor.authorSALES, Clécia Cristiane-
dc.date.accessioned2022-07-12T12:58:28Z-
dc.date.available2022-07-12T12:58:28Z-
dc.date.issued2012-
dc.identifier.urihttp://tcc.fps.edu.br:80/jspui/handle/fpsrepo/1349-
dc.descriptionTrabalho de conclusão de curso apresentado como requisito para o curso de Enfermagem da Faculdade Pernambucana de Saúde.pt_BR
dc.description.abstractResumo Objetivos: Identificar a freqüência, o tipo e as conseqüências da violência sexual em crianças assistidas no Instituto de Medicina Integral Prof. Fernando Figueira (IMIP). Métodos: Estudo do tipo descritivo, observacional e retrospectivo. O Período dos dados coletados foi de Janeiro a Junho de 2011, a população e amostra do estudo foram constituídas por 88 fichas de notificação de abuso sexual em crianças assistidas no IMIP. Resultados: O perfil das crianças foi de moradoras da Região Metropolitana (54,5%), com idade entre 6 e 11 anos (54,5%), do sexo feminino (79,5%), da cor parda (61,4%), analfabetos (28,4%). Na maioria dos casos o agressor foi o amigo/conhecido (30,7%), que praticaram o estupro (38,6%), houve penetração (36,4%) onde prevaleceu o tipo anal (59,4%). Em vários casos não foi realizado procedimento algum (68,0%) e dos casos que foram realizados procedimentos a maioria foi a profilaxia de IST (62,5%). Em 40,9% foram identificadas consequências no momento da notificação, onde 41,7% sofreram estresse pós-traumático. Conclusão: O abuso sexual na infância é mais frequênte no sexo feminino, na raça parda e em crianças maiores de 5 anos. O principal agressor são os amigos/conhecidos, onde o tipo de violência mais praticada foi o estupro. Quanto as conseqüências, a de maior incidência foi o estresse pós-traumático. Sendo um problema de saúde publica que pode gerar danos físicos, sociais e emocionais que corroboram para introspecção podendo acarretar inclusive a dificuldade de socialização da criança que provavelmente acompanharam inclusive na vida adulta. Em relação ao preenchimento adequado das notificações torna-se assim imprescindível para que haja uma correta estimativa dos números e um melhor atendimento. Palavras Chave: violência sexual, criança, incesto, infância.pt_BR
dc.language.isootherpt_BR
dc.subjectViolência sexualpt_BR
dc.subjectCriançapt_BR
dc.subjectIncestopt_BR
dc.subjectInfânciapt_BR
dc.titleO abuso sexual na infância notificado em âmbito hospitalarpt_BR
dc.title.alternativeO abuso sexual na infância notificado em âmbito hospitalarpt_BR
dc.typeOtherpt_BR
Aparece nas coleções:Enfermagem

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
camilla vieira - enfermagem.pdf489.27 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.